20 agosto, 2008

Basta

Não, ele não é como eu sonhava. Tem centímetros a menos de romantismo e metros a mais de sedução. Ele não lê meus poemas e nunca me trouxe uma flor. Mas ele sabe a cor exata dos meus lábios e me acha bela.
As promessas que esperava, ele nunca disse. Mas me encheu de esperança e me fez sentir menina. Eu gostei.
Ele não prestou atenção na música que escolhi para ouvir, mas eu dancei assim mesmo . E ele sorriu.
Eu queria fazer do seu ombro o meu descanso, no entanto ele não me deixa dormir quando está por perto e me tira o sono quando está longe. Ele não é quem eu sonhei, mas é quem me faz sonhar.
Quando eu falo em um idioma que ele não conhece, ele grita nomes indecifráveis. E eu entendo.
Por vezes gostaria que ele mudasse, mas agora eu já decorei os seus poros e não quero aprender outra tez. Tem momentos que ele reclama de mim e tenta me ensinar o jeito certo. Mas ele não sabe e erra. Eu perdôo outra vez.
Ele repara em cada nova ruga que me aparece, mas ele me olha. E eu o vejo como ele é.
Ele sabe o que eu quero e às vezes me nega. Mas se eu choro e lhe faço um carinho, ele me entrega.
Se quero ficar só, ele se aproxima e cisma. Se fico forte, ele tem medo e se afasta. Desconfia, sofre e volta sem graça. Isso passa.
Eu queria que ele me mostrasse o mundo, mas eu...
Eu só tenho olhos para vê-lo.
E isto me basta.

4 comentários:

Blog da Joana Paro disse...

Queridamiga... Bom dia!
Tua prosa é poéticamente linda. Não se furte, escreva e publique mais. Brinde a vida com tuas idéias brilhantemente organizadas em belas palavras.
Adorei todos, mas este falou à minha alma feminina.
Beijos... lua cheia... borboletas!

marcelo albuquerque disse...

Meu Deus! Menina, você é incrível!
Beijos saudosos do Marcelo

Lucas Franco disse...

Nossa! Sem comentários apenas me rendo.

Elissa Moreli disse...

Perfeito!